• Colégio Dinâmico

Manter rotina é essencial para saúde mental



A Covid-19 e a necessidade de mudança no nosso comportamento trouxeram reações emocionais que atingiram a maioria das pessoas. Neste cenário, o sujeito pode ter incertezas que o tornam mais entristecido, irritado e, às vezes, entediado. Parte dessas emoções têm origem na perda da rotina até então vivenciada.


Não sabemos por quanto tempo essa crise durará e nem como será o nosso retorno. Por isso, tentar manter um pouco da nossa rotina é fundamental para a vida psíquica, emocional e física. Não é favorável ficar lidando com essa ansiedade sem se reconstituir e fazer uma reparação nos processos de rotina.


Sugiro começar a tentar trazer para o isolamento um pouco da vida que se tinha anteriormente. Manter o padrão na hora de acordar, de dormir e na hora de fazer as refeições. Com partilhas familiares, rever fotografias referenciando a temporalidade e significados, e assim revisitar nossa história. Também é importante estabelecer metas para o dia, que podem ser no âmbito da organização, da leitura, dos estudos e das atividades físicas.


Nesse sentido, em caráter de excepcionalidade, o ensino via internet é uma forma de resgate da nossa identidade. Sabemos que manter os estudos de forma remota não está sendo fácil, mas é uma ação com valia ímpar, pois não apenas é importante para a formação, mas também permite que o sujeito tenha o sentimento de reconhecimento identitário. Ou seja: “eu ainda me encontro aqui”.


É um bom momento para rever os conteúdos das aulas de forma mais tranquila, sem a pressão natural do cotidiano. Estudar é importante para fazer a estimulação cognitiva, que também pode ser feita ouvindo uma música ou fazendo alguma atividade de artesanato.


Como estamos mais reflexivos, o contexto é oportuno para entrar em contato com os sentimentos, com suas escolhas e seus procedimentos atitudinais. Não podemos deixar, junto a essa busca da rotina, de nos atermos à fé, à esperança, à gratidão e à solidariedade.


São ações e sentimentos que nos levam a lidar com a reconstrução das frustrações por não ter a rotina social. Inclusive, para lidar com a frustração também é importante entendê-la como um adiamento das demandas dos desejos. Ou seja, entender que esses desejos e necessidades não acabaram, mas precisam de uma reparação.


Acredito que esse momento de quarentena terá um sentido muito importante de retomada de determinadas características e valores que, sem nos dar conta, perdíamos naquela rotação da vida que tínhamos antes da Covid-19. Aposto que temos condições de sermos muito melhores depois dessa experiência, especialmente no que diz respeito às relações afetivas e no modo de viver.


Ângela Dantas

Psicóloga do Colégio Dinâmico

Mestre em Educação

0 visualização0 comentário